Textos


SONETO DA RECONSTRUÇÃO
 
Sinto-me tão vazia sem teus braços
Nas horas em que louca de ciúme
Abraço o travesseiro num queixume
E choro por querer seguir teus passos
 
Esforço-me para lembrar teus traços
Quando de longe sinto o teu perfume
Porque criaste em mim esse costume
De descansar em ti o meu cansaço.
 
E se me encontro, por vezes, indolente
Com o olhar perdido no horizonte
É que já estou de ti tão dependente
 
Que faço desse amor a minha fonte
Onde lavo minha alma adolescente
Que tu reconstruíste com encanto!

 


Segundo sarau poético do Recanto das Letras
Lídia Bantim
Enviado por Lídia Bantim em 18/07/2016
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Imagem de cabeçalho: Shandi-lee/flickr